Curriculo (ou Um post de fúria)

Será que alguma empresa me contrataria se eu lhe apresentasse este currículo?

Objetivo profissional

  • Desenvolver software de forma simples, não burocrática, (até prazerosa, porque não?) entregando ao cliente o que ele realmente necessita – Software funcionando (jura!?)

Qualificações profissionais

  • Não sou especialista em toda e qualquer tecnologia de 3 ou 4 letras surgida desde mil novecentos e bolinha até o último hipe do momento. Ex: TCP/IP, HTTP, XML, XSD, XSTL, SOAP, JSON, POX, EBJ, JSP, JSTL, HTML, DHTML, DOM, CSS, UML, CVS, SVN, SQL, AJAX, BPM, ESB só para citar algumas. Mas conheço um pouco de cada.
  • Não tenho vergonha, medo, pavor nem calafrios em dizer “Não sei, mas posso estudar e lhe digo”.
  • Não sei mentir. Não, nem para aquele cliente mala que está exigindo da sua consultoria um mega-blaster, power, ultra profissional, que tenha 25 anos de experiência em todas as tecnologias do primeiro item acima e “entenda do negócio”, apenas para ficar “especificando o sistema” em Microsoft Word e Enterprise Architect.
  • Odeio trabalhar mais de 8 horas por dia todos os dias. Eventualmente, veja bem, EVENTUALMENTE pode acontecer.
  • Não acho que a melhor forma de avaliar quantitativamente e/ou qualitativamente o trabalho das pessoas seja através dos entediantes e inúteis Timeshets. (Atenção para a palavra em itálico. Você trabalha com pessoas. Repita comigo pes-so-as. Recursos são impressoras, computadores, aparelhos de fax, etc).
  • Discordo da visão na qual o analista de sistemas é o cara inteligente, que pensa em tudo e faz o trabalho intelectual de especificar, enquanto o operário programador não precisa pensar pois apenas tem de apertar os parafusos, ops codificar.
  • Não tenho a “ambição” de “subir de cargo” até virar gerente de projetos, assim como não tenho nada contra “programar para sempre”. (Isso não significa que eu não queira evoluir, paguá!)
  • Não acho que esses caras (famosos: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8 & ainda não tão famosos: 9, 10, 11, 12, 13 …) são xiitas, prepotentes que se acham e inventam ou dizem um monte de coisas simplesmente para promoverem a si mesmos ou suas empresas e/ou vender seus livros pois “essas coisas só funcionam na teoria”. (Você pelo menos já tentou?)
  • Aprecio muito, muito mesmo, uma cervejinha com os amigos de vez em quando (isso, isso mesmo, tenho amigos fora da empresa sim).

O engraçado (se não fosse trágico) é que, grande parte dessas colocações são verdades para a maioria dos desenvolvedores. Quem não gostaria de trabalhar 8 horas por dia?Quem conhece a fundo todas as tecnologias? Quantos de nós odiariamos ser gerentes de projeto?
Do outro lado, o empregador não perderia em nada prestando atenção nesses pontos. Todos eles dizem respeito a qualidade de vida, trabalho bem feito, cliente satisfeito, dinheiro no bolso.
Então qual é o problema?
Só me resta concluir que a maioria das empresas gostam de ser enganadas. Dão valor aos mentirosos, aqueles que “manjam” tudo de tudo e tem orgasmos multiplos trabalhando 15 horas por dia.

O problema, como já disse, é que não sei mentir!

Advertisements

Tags: ,

3 Responses to “Curriculo (ou Um post de fúria)”

  1. Douglas Campos Says:

    E eu que pensei que era o único revoltado com o mercado… Show de post… Mundo pequeno esse…

  2. leandro Says:

    kkkkkkkkkk 🙂

    Valeu!

  3. Alan Rafael Says:

    Muito bom este post… bem direto tb rsrsr..

    []´s

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: